Para o professor e consultor de mídias digitais Caio Túlio Costa, nada exemplifica tão bem o poder de um monitoramento digital bem feito do que “Stranger Things”. Uma das mais populares da atualidade, a série da Netflix foi produzida sob medida para o gosto do público.

Com base no monitoramento preciso do que os 83 milhões de assinantes do Netflix buscam, assistem, deixam de assistir, assistem novamente, elogiam e criticam, foi criada uma trama ambientada na década de 1980 que mescla aventura, romance, suspense e terror recheada de referências a filmes clássicos.

Segundo Caio Túlio, é possível se espelhar no que fez o Netflix e ter sucesso na produção de conteúdo digital com base no monitoramento do ambiente digital. Ele falou sobre o assunto no youPIX CON, evento sobre cultura digital, ocorrido em setembro.

Para ele, fazer monitoramento burocrático, como acontece na maioria das agências, é colocar tempo e dinheiro no lixo. “O mais importante é entender o que está acontecendo, ter ferramentas para ajudar, em vez de ser ‘escravo do Excel'”.

É preciso entender quantas e quais ações seu público fez a partir de um conteúdo, e saber que há hierarquias de interação. “Modulando seu trabalho de acordo com o desejo que conseguiu apreender pela interação do público nas diferentes redes é possível prever e interromper crises, estar sempre por dentro das tendências e fenômenos sociais”, explica.

Abaixo, veja as sete dicas do especialista para ter seu “Stranger Things próprio”:

1- Não seja um “inquilino” das tendências
Se entrou na tendência só por entrar, já está fazendo errado. É preciso saber o assunto do momento, explorar o foco, modular seu discurso e não perder o timing.

2- Esteja atento às hashtags
Quem trabalha com conteúdo precisa saber o que está acontecendo, e o melhor lugar para saber é o Twitter. Una assuntos do seu universo às hashtags mais usadas, cheque de meia em meia hora, produza conteúdo geolocalizado.

3- Faça o que funciona
Acompanhe o desempenho de suas postagens e das de seus concorrentes, explore os acertos, não repita os erros, não gaste energia à toa, faça isso em todas as plataformas.

4- Tenha seu próprio datacenter
Use dados para resumir o momento em gráfico ou infográfico, para fácil análise.

5- Destrinche postagens
Saiba o que significa cada aspecto das postagens, caracteres, horários, dia, imagem, link, hashtag.

6- Quem importa e quando
Influenciadores certos não são necessariamente aqueles que acreditamos ser. Tudo precisa ser corroborado com dados do monitoramento, que pode ser de quem tem maior alcance, maior quantidade de posts ou maior número de compartilhamentos, dependendo do caso.

7- Observe, pense, monitore, crie
Faça sempre, e nessa ordem.

fonte: Bianca Guaraldi da coluna TEC da Folha de S.Paulo
Anúncios